Muitas pessoas alugam imóveis buscando mais independência ou para atingir objetivos pessoais. No entanto, negociar aluguel requer alguns cuidados. Um deles é com a forma como será feita a transação: com a imobiliária ou diretamente com o interessado.

Em geral, as dificuldades surgem quando a transação não envolve a imobiliária, pois alugar um imóvel não é uma tarefa tão simples. O processo exige diversos trâmites legais, que merecem sua devida atenção. Por isso, ao negociar direto com o interessado, tome algumas providências para evitar dores de cabeça.

A seguir, confira 4 dicas de como ter sucesso nesse tipo de transação!

1. Tenha um contrato coerente

Como o contrato de aluguel é o principal documento da locação de imóvel, é extremamente importante que ele seja redigido de maneira que ambas as partes conheçam seus direitos e deveres na negociação.

Geralmente, quando é redigido para locação particular, esse documento acaba deixando a desejar em diversos pontos, especialmente no que diz respeito às garantias necessárias, seja para o locador ou locatário.

É importante que o contrato seja bem detalhado, prevendo todas as situações de adversidade e estipulando as medidas necessárias caso aconteçam. Além disso, o documento deve estabelecer datas, condições de reajuste no valor do aluguel e também quem é o responsável pelo pagamento das taxas.

2. Consulte um profissional da área

Embora você tenha optado pela locação sem uma imobiliária, é importante ter o auxílio de um profissional qualificado para garantir o sucesso da negociação. Como está acostumado com esse tipo de transação, ele garantirá que todas as informações necessárias estejam no contrato, evitando problemas devido à falta desses dados.

Esse profissional também pode esclarecer como verificar as chances de inadimplência do interessado — uma das principais dores de cabeça dos proprietários de imóveis — e ainda sugerir como as taxas extras, IPTU e incêndio, por exemplo, podem ser negociadas para que nenhuma das partes saia em desvantagem.

3. Tenha um bom relacionamento com o locatário

Pela Lei do Inquilinato, o proprietário do imóvel tem a obrigação de entregá-lo em perfeitas condições de moradia e usabilidade ao locatário, que passa a ser o responsável pelo local. Porém, algumas vezes o inquilino não compreende suas obrigações e acaba causando danos ao imóvel.

Portanto, procure ter um bom relacionamento com o interessado no imóvel. Desse modo, o contrato poderá ser redigido com o consentimento de ambas as partes e será mais fácil negociar as taxas e despesas extras.

4. Entenda os deveres e responsabilidades de ambas as partes

Não é somente você quem possui obrigações: o locatário também tem deveres a cumprir. Assim sendo, compreenda como toda a negociação é realizada e deixe claras as obrigações de ambas as partes da negociação.

Para facilitar o procedimento, os direitos e deveres do locador e do locatário devem estar explícitos no contrato de aluguel, evitando problemas futuros.

Além disso, faça a vistoria do imóvel — na presença do interessado — antes de fechar o negócio. Em seguida, redija um documento para que não haja nenhuma controvérsia no momento da entrega das chaves.

Gostou das nossas dicas sobre como negociar aluguel de uma maneira que todos saiam satisfeitos? Você já toma algum desses cuidados? Então conte as suas experiências nos comentários!